17 de junho de 2018

a menina que salvava caracóis

a menina que salvava caracóis.
era uma menina.
que salvava caracóis.
conforme podia.
não tinha nome.
tinha um rosto bonito.
com uns grandes olhos.
castanhos.
que azuis metem medo e só ela sabe porquê.
e verdes também.
verdes não, por favor.
também não.
e pretos podem afugentar os mais fracos, os franzinos, e os coitaditos, os que têm medo do escuro e passam as noites longas como demónios debaixo dos lençóis e dos cobertores e têm de dormir de orelhas cobertas e com os pés bem tapados.
os seus grandes olhos castanhos viam o mundo de uma forma diferente.
viam as senhoras anafadas no limiar das portas dos prédios como rolas pousadas, de cabeça enterrada.
senhoras sobejas que se queriam levantar, sozinhas, pelo seu pé, e não conseguiam.
senhoras que, com o peso, era difícil pôr uma perna à frente da outra e erguer os quadris.
era preciso ajuda.
e apenas a menina que salvava caracóis passava por ali.
mais ninguém.
só ela.
mas a menina nunca tinha salvo senhoras.
senhoras pesadas e pobres e com cheiro a quem não toma banho.
atenção que não era por mal.
não era por mal, não senhor.
só que ela não sabia como fazê-lo.
não sabia que podia aproximar-se e perguntar se precisavam de ajuda.
seguiu o caminho de olhos em frente e coração enjaulado.
podes ajudar-me?
aquela voz era tudo.
era um pedido de socorro para ela, a senhora, e para a menina.
sim.
claro que sim! por favor, sim!
e mergulhou a mão junto ao pequeno degrau da porta.
e agarrou a sua, grossa, áspera, de ferro, e puxou-a para si.
e o seu coração ganhou asas.
voou.
é engraçado.
quem vê, assim, de fora, aquilo que se está a passar não diz que a menina que salvava caracóis era a que estava a ser salva agora.

21 de maio de 2018

o sapatinho foi à rua # 478

Olá! Olá!
Como estão?
Este fim de semana foi para a família e para os amigos.
E para as patuscadas.
E para as fotos.
As fotos reais.
Deixemos de lado as paisagens bonitas e perfeitas.
Iguais.
Estereotipadas.
Porquê um ecoponto?
Porque é sinónimo.
De.
Responsabilização.
Mudança.
Respeito.
Tolerância.
No rules.
Energia positiva!
Hope you get it!
Boa semana!






blusa: Primark
jeans: Tiffosi
sandálias: Primark
robe: modificado (Dior sleeves)
cinto: Mango
óculos: Multióticas

17 de maio de 2018

spots giros # 21

Sem dúvida, um dos spots mais fofuchos que conheci nestas minhas maratonas a Coimbra foi o restaurante-cantinho Cozinha Aromática
Quando ia para Aveiro, pela IC2, passava na Mealhada e o restaurante, mesmo em frente aos Bombeiros, luzia-me o olho.
Quem anda na estrada e não vai muito à bola com sandes, sabe que é importante termos uma comidinha caseira que nos forre o estômago, certo?
Um dia, calhou de lá ir. 
Tinha curiosidade e queria experimentar.
Não me arrependi de todo!
Aliás, fiquei fã.
A decoração é moderna e acolhedora, a puxar para o americanado, com um toque especial que nos faz sentir sempre bem-vindos.
O atendimento é espetacular, com doses de simpatia e simplicidade, e a comida é verdadeiramente deliciosa com novidades quentinhas sempre a sair.
Quando lá vou, rendo-me a uma sopinha (aproveito para pôr em pratos limpos que a sopa de peixe com marisco foi das melhores que já comi na v-i-d-a), um copo de vinho tinto e um pãozinho caseiro fatiado que me sabe às mil maravilhas.
Os doces têm um aspeto delicioso, mas ainda não ataquei nenhum... por enquanto.
O vosso sapatinho recomenda vivamente!

Também têm serviço de Take Away, para que a família todinha se delicie com estas iguarias!

14 de maio de 2018

o sapatinho foi à rua # 477 super

O tema hoje é, nada mais, nada menos do que: supermercados. 
Os primeiros apareceram há mais de 70 anos, nos Estados Unidos, where else
A estratégia era vender comida e deixar que as pessoas se servissem. 
Havia um detalhe importante: os preços eram muito mais baixos do que nas mercearias. 
Nos anos 50, os supermercados chegaram à Europa e ao Brasil (os hipermercados chegaram nos anos 80).
Obviamente que os preços baixos deixaram de ser a única estratégia para alavancar as vendas e em cada centímetro das prateleiras temos estratégias de marketing poderosíssimas. 
Existem mesmo softwares específicos para organizar melhor os produtos por secção, corredor ou categoria.
Templos de consumo, os supermercados são igualmente uma ferramenta social, em que quase tropeçamos nos nossos amigos e conhecidos, aproveitando para meter a conversa em dia e sair um pouco da rotina do quotidiano.
Temos ainda as amostras, as promoções, ou os cartões associados com descontos incríveis.
Também dizem por aí que existe uma probabilidade altíssima de conhecermos a nossa cara metade num supermercado.
Os modelos e os bloggers usam-nos igualmente para tirar fotos. 
Inspirados em Chanel, que aproveitou uma Grocery Store, em 2014, como palco para os seus desfiles, as fotos giríssimas e descontraídas, out of the box, inspiraram-nos e blogger que é blogger tem de ter uma foto destas.

*
O look de hoje traz a cor do verão, o amarelo, com padrões exóticos, a pedir praia. 
A secção dos livros é a minha preferida (já a pensar nas escolhas do garoto para o verão...).
Have fun ;)
blusa com folho: Tiffosi
jeans: Lefties
ténis: Nike
cardigan: Lefties
handbag: W52
óculos de sol: Ray Ban
brincos: compra online

11 de maio de 2018

caderneta de cromos # 23

O Dinis pediu-me para desenhar uma Tartaruga Ninja, no quadro, no final da aula, e eu fi-lo.
Mané, pode ficar, assim, no quadro para sempre? Pode?

8 de maio de 2018

caderneta de cromos # 22

Vira-se um garoto de quatro anos assim para mim.
Mané, és tão parecida com a Xana Toc Toc!
Quem?????
Aos pontos que uma pessoa chega! ;)

5 de maio de 2018

spots giros # 20

Ora bem, estes dias e estas semanas têm sido um corropio pegado e, por vezes, cozinhar está fora de questão, quer pelo cansaço, quer pela disposição. Depois, junta-se a vontade irresistível de estar com quem gostamos verdadeiramente, partilhar experiências e deixarmo-nos levar pelo momento, em pequenos bocados de felicidade.
Sempre senti que uma boa refeição junta as pessoas, traz sorrisos, memórias, momentos indescritíveis.
A ida aos 100 Montaditos, em Aveiro, bem pertinho da Sé, foi isso mesmo, um momento bem passado.
A localização não podia ser melhor e o atendimento foi excelente.
A história dos 100 Montaditos começou no ano 2000, numa pequena praia de Istantilla, Huelva, na terra de nuestros hermanos.
O conceito gastronómico deste franchising é simples, revolucionário, com ingredientes de qualidade e uma grande panóplia de produtos, nomeadamente tapas, e conquistou-me em 3 segundos.
A forma de fazer os pedidos é, no mínimo, sui generis: sentamo-nos, escrevemos o nosso pedido num bloco deixado ali para o efeito, pagamos e dão-nos um gadget que liga as luzes, para nos avisar que o pedido está pronto e podemos levantá-lo.
O pão é único e tradicional, de receita patenteada, e é servido sempre quente e crocante.
As 100 variedades de ingredientes passam pelo queijo, tortilhas, presunto, frango, atum, salsichas, chouriço, lombo, salmão ou anchovas, por exemplo (não se esqueçam de provar as as asinhas de frango!! bem top!).
Também há saladas!

Esta é, sem dúvida, uma forma divertida e original de desfrutar a comida prontinha a picar.

O franchising que faltava em Aveiro!


Às quartas e aos domingos, os preços são ainda mais aliciantes.
Euro mania!

1 de maio de 2018

o sapatinho foi à rua # 476

Boa noite!
Como vai isso por aí?
Por aqui, hoje, deu para descansar um bocadinho.
Trabalhou-se de manhã.
Passeou-se um pouco à hora do almoço.
E deu tempo para estar com uma montanha de amigos e festejar a amizade.
Adoro este sol lindo, que nos enche de alegria.
Apeteceu-me usar um look descontraído e ultra moderno, com  o meu belt bag, a minha camisa de folhos e os meus slippers com as meias à mostra, a segurarem as calças.
Unwind!
Life's good!

*
Miss u!!
;)






blusa com folhos: Zara
calças: Zara
belt bag: Bershka
slippers: Seaside
meias: Calzedonia (presente de Natal e usadas, hoje, pela primeira vez)
mala: Lanidor

25 de abril de 2018

sapatinho fit... ou talvez não # 88

Amiguinhos, acredito que já estejam mais do que desconfiados de que a minha inscrição no ginásio tenha sido cancelada. 
Na realidade, como vocês sabem, não tenho tido tempo nem para me coçar, quanto mais para perder mais de uma hora a fazer exercício, fora os banhos que é a parte mais demorada (lol). 
Claro que o primeiro mês foi cumprido à risca, sim senhor. 
À risca. 
Três vezes por semana, estava batidinha no Fitness Hut. 
Tão certo como dois mais dois serem quatro.
No segundo mês, já só conseguia pôr lá os pés duas vezes por semana, à rasquinha. 
No terceiro mês, se fosse uma vez por semana era cá uma paia!
Depois, claro, andei mais um tempo a tentar iludir-me de que conseguiria manter o ritmo, Vai, Mané! Tu consegues!, mas desenganem-se. 
Ficou tudo em águas de bacalhau...
O meu horário começou a ficar tão sobrecarregado que tive de tomar medidas.
A minha amiga Bia (que eu adoooooro de coração!!!) aconselhou-me a instalar uma app para fazer exercício em casa. 
Obrigada, Bia!! <3
A app chama-se Boa Forma 30 dias e consegui fazer um treino em casa muito completo. 
Para quem não sabe, esta foi a melhor app de 2016 de auto-aperfeiçoamento selecionado pelo Google Play. 
Os treinos são feitos em casa e são concebidos por instrutores profissionais. 
O desafio fitness de 30 dias ajuda a melhorar a forma física e a saúde.
Aqui entre nós, que ninguém nos ouve, ainda só consegui fazer um treino (que simplesmente adorei!!), mas lá mais para junho, quando o meu horário ficar mais reduzido, volto ao ataque, de forma certinha, que eu também mereço!
Até lá, para quem está mesmo a precisar (quase tanto como eu), deixo-vos a dica!
Nota: pela primeira vez na vida, senti os musculosinhos todos do corpo, por isso, acredito que funcione a 100%.
Levantem-me esses rabos do sofá e instalem lá a app de uma vez!

22 de abril de 2018

spots giros # 19

Estas últimas semanas têm sido incríveis, esgotantes, cheias de adrenalina, muito trabalhinho, pessoas fantásticas e momentos de felicidade genuína.
Há alturas na vida em que paramos e olhamos para trás e vemos que tudo tem um sentido, um propósito; que nada acontece por acaso.
Esta altura é uma delas.
Coimbra tem sido uma cidade amiga, uma cidade confidente, uma cidade surpreendente.
Encontro-a cedo, de manhãzinha.
Combinamos um café.
Depois demoro-me por lá.
Um destes dias, levei o garoto comigo e parámos perto do Portugal dos Pequenitos para tomar um chá.
Um amigo meu já me tinha recomendado a Galeria Santa Clara.
Que era um spot fantástico, multifuncional.
A bem dizer, um espaço cultural e de lazer.
Basicamente, a Galeria Santa Clara resulta da combinação perfeita de estruturas singulares: café, bar, "uma espécie de" restaurante e galeria de arte, com espaços e salas distintos, rés do chão e primeiro andar (este último é lindo de morrer!!! e perfeito para trabalhar) e uma esplanada simpática,  com o propósito único de tornar cada momento único e inesquecível. 
O meu cantinho preferido foi, obviamente, a deliciosa biblioteca que olhava para nós na sala em que nos sentámos. Aqui, cada pessoa é convidada a trazer um livro de casa e a juntá-lo à coleção. Ideia brilhante, não acham?
As paredes estavam cheias de quadros interessantes e o teto, à entrada, é a aproximação perfeita da Capela Sistina.
O ambiente é eclético, mas quase destinado a estudantes universitários.
A decoração é retro, descontraída e inusitada.
Pedimos chá de ameixas e scones, enquanto os nossos olhos saboreavam também algumas páginas deste livro e daquele.
O preço puxa o carote, mas vale cada cêntimo.

Abertos todos os dias da semana entre as 14h00 e as 02h00.
À sexta e ao sábado encerram às 3h00.