27 de março de 2013

Um rasgo de liberdade


Bem, estes dias têm sido de deitar abaixo qualquer uma: os 2 homens de casa doentes, com febre e gripe, e eu, a única alma sã, a tentar gerir uma casa entre xaropes, idas ao médico e à farmácia, e noites de vigilância de puro termómetro em mão. Mas, claro, como sou uma mulher de fibra, cá me vou aguentando sem lamechices. Após dias e dias de clausura, a ver nascer o sol aos quadrados (lembro que as janelas de casa são QUASE quadradas) obviamente que a dispensa e o frigorífico têm ficado seriamente desfalcados e hoje alguém tinha de ir às compras!!!! O Bernardo ainda não tem carta de condução (aos 6 anos a criança não é considerada idónea) e o Nuno está arreado; então, só restava uma pessoa: aqui, a JE! Só não gritei: IIIUUUUPPPIIIIII, pois parecia mal. Contive-me e lancei a mão à lista de compras. O Nuno conferiu, não fosse faltar alguma coisa, e eis que o seu olhar deteta algo:
- Red lights!!
- O quê?!!
- Red lights!! – sorriu, como se tivesse descoberto a pólvora. – É melhor comprar um chocolatinho!!
Mesmo assim, não compreendi.
- O Benfica joga em casa e temos de estar prevenidos!!
Bem, isto é o que dá a raça masculina conhecer-nos bem demais, melhor do que nós próprias. Qualquer dia, se nos apanharem desprevenidas, ainda controlam o planeta!! Mulheres, cautela! Peguei na caneta, com alguma raiva contida, e escrevi CHOCOLATE, não fosse o diabo tecê-las e esquecer-me de comprar o antídoto para aqueles dias difíceis.
Finalmente, saí para a minha liberdade, ainda que condicionada. Pude ir ao Continente e comprar a Máxima de abril (já folheei a revista e parece ter umas amostras decentes) e uns ovos de chocolate para que o coelhinho da páscoa possa fazer o seu trabalho este ano, apesar da crise, e o resto dos bens essenciais (que remédio)!!!
Antes de continuar, tenho de partilhar isto com alguém, senão explodo. Aproximem-se; mais um bocadinho, para ninguém ouvir. Isso!!!! Sabem, tenho andado desconfiada de que se passa qualquer coisa muito fora do comum no CONTINENTE. Os funcionários são estranhamente simpáticos para os clientes (não que eu me queixe disso, pois a simpatia aliada ao profissionalismo, seduzem-me verdadeiramente!). Algo se passa!! Ou, como o meu filhote diria: “aqui há gato”! As minhas teorias altamente-assentes-na-lógica-e-no-racional² são:
1)    ou eles ganham um balúrdio para desempenharem as suas funções;
2)    ou foram possuídos por alienígenas;
3)    ou estão a ser ameaçados de morte pela cadeia de hipermercados.
Perspicaz, não?
Sinceramente, este atendimento devia ser assim em todo o lado. Hoje foi a vez do senhor do talho, simpático, SIMPÁTICO!!, profissional, e ainda me desejou uma boa páscoa quando me vim embora; depois foi a senhora da caixa, enquanto segurava um molho de notas e parecia brincar ao monopólio. Fiquei desarmada (como os patanecos chineses com-aquela-gota-na-cabeça-junto-aos-olhos)!! É por essas e por outras que vão ganhando clientela!!
 http://modanosapatinho.blogspot.pt/
Agora, de volta a casa para mais colheradas de ben-u-rons e brufens e vapores e sabe-se-lá-mais-o-quê!!! Desejem-me boa sorte!!

1 comentário:

  1. É triste quando o supra-sumo da nossa felicidade é uma ida ao Continente, não é? Não, não estou a criticar-te, pois eu também sou assim. :-P

    Aposto que a razão da simpatia é a terceira. Tu não ouviste o patrão deles dizer que se podia viver bem com €300 / mês? Podem estar com medo que ele lhes corte o salário!!!

    ResponderEliminar